Energia Solar

Energia Solar

O termo “fotovoltaica”, vem do grego (Phos), que significa “luz”. Já “volt”, significa a unidade de força eletromotriz, o volt. Dessa forma, o termo “fotovoltaica” é a geração de força eletromotriz (energia elétrica) por meio da luz.

De forma básica, o sistema solar fotovoltaico é comercializado via kits, e 2 (dois) produtos representam a maior parte do custo:

  • PAINEIS SOLARES – Placas de silício que convertem energia da luz (irradiação solar) em energia elétrica (contínua).
  • INVERSORES (ou MICRO INVERSORES) – Convertem a energia coletada pelos painéis (corrente elétrica contínua), em corrente elétrica alternada (mesma que usamos em nossas casas e comércio).

Nos momentos em que o seu sistema fotovoltaico não gerar energia suficiente para abastecer a unidade consumidora, a rede da distribuidora local suprirá a diferença. Nesse caso será utilizado o seu crédito de energia ou, caso não haja, você pagará a diferença. Quando a unidade consumidora não utiliza toda a energia gerada pela central, ela é injetada na rede da distribuidora local, gerando crédito de energia.


Mercado de energia solar

Finalmente o Brasil está acordando para o uso do seu imenso potencial solar para gerar energia (daria para suprir mais de 2 vezes o cosumo atual). A perspectiva de crescimento para o setor é de 300% para 2019 e deve movimentar mais de U$100 bilhões até 2040.

Grande parte desse crescimento é motivada pelos aumentos constantes da energia elétrica, crises de seca que afetam a energia hídrica e a necessidade de diversificação da matriz de energia. Além disso há uma maior preocupação com o meio ambiente.

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) estima que em 2024, no Brasil, serão cerca de 886,7 mil unidades consumidoras que gerarão energia solar fotovoltaica (Hoje são algo em torno de 35 mil unidades).

Na realidade, o mundo inteiro já utiliza energia solar faz tempo, com destaque para China (mais de 20% da energia elétrica é solar), E.U.A (mais de 18%), Japão (mais de 15%), Alemanha (mais de 15%), e E.U.A (mais de 18%). Dados de 2016.

O presente e o futuro são amarelos!

 

Vantagens
  • O retorno do investiomento em energia solar é relativamente rápido (de 3 a 7 anos, na média), considerando o seu tempo de vida útil (25 a 40 anos);
  • Energia solar é um recurso totalmente renovável e autossuficiente, logo, autossustentável;
  • Baixo custo da energia solar considerando-se a vida útil do sistema;
  • A energia solar pode ser usada em áreas isoladas da rede elétrica;
  • Trata-se de um investimento melhor do que deixar o dinheiro investido em um banco;
  • Painéis fotovoltaicos são fáceis e ráoidos de instalar, para quem possui conhecimento técnico;
  • A energia solar praticamente não precisa de manutenção, com baixíssimo custo operacional;
  • A energia solar não polui;
  • A energia solar não faz nenhum barulho;
  • Petróleo, o combustível mais utilizado no mundo, vai acabar um dia;
  • Não paga a “taxa de gato” (taxa que todos os consumidores pagam para repor as perdas com os desvios de energia elétrica);
  • Ajuda a desafogar o sistema elétrico brasileiro e redução das perdas de transmissão de energia elétrica;
  • Fica imune aos aumentos constantes das tarifas de energia elétrica;
  • Não paga tarifas diferenciadas (tarifa vermelha ou amarela);
  • Pode gerar em um local e também usar em outro endereço com mesmo CPF/CNPJ;
  • No Brasil, que é um país tropical, o uso da energia solar é viável em quase todo o território;
  • Gera empregos em toda a cadeia de produção;
  • Melhora a imagem das empresas;
  • O sistema de energia solar pode ser expandido, de acordo com o aumento do consumo;
  • Redução de emissão de CO2.
Desvantagens
  • Alto custo inicial - existem alternativas para começar com um projeto menor, de acordo com os seus recursos disponíveis;
  • Impossibilidade de gerar energia a noite - não há o que ser feito nesse caso;
  • Falta de incentivos pelo governo - há iniciativas recentes, como o fundo clima, que prometia financiamento para pessoa física e jurídica com juros de 4.5% ao ano;
  • Se a energia da concessionária faltar, o sistema solar para de funcionar - na realidade trata-se de uma proteção para os casos de manutenção da rede da concessionária;
  • Possui dependência climática - No caso da elaboração de um bom projeto, a análise histórica é realizada, de forma a mitigar os riscos.
  • As placas solares demandam extração de minérios - O silício, que é a principal minério utilizado nas placas, é o elemento químico mais abundante na crosta terrestre.

Nossos Serviços